segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Do meu estado de espírito



6 comentários:

Bípede Falante disse...

Lucia, que delícia o seu lado. O meu anda meio jururu e eu ando bem quieta. Não telefonei ainda para você para não te causar a hora do espanto, que eu estou de arrepiar de chata :( Mas passa.
beijoss

Lucia Alfaya disse...

Querida Bípede, todos temos momentos de jururice. Eu tenho alguns, mas eles acabam tão rápido que nem me lembro deles. Tenho me sentido tão feliz ultimamente, sem nenhuma razão aparente a não ser a tranquilidade que me cerca, que às vezes penso que deve ter alguma coisa errada, não é possível... No entanto, ando com essa sensação de que tudo está em seu devido lugar, sabe? Ler um livro, dançar, contemplar a natureza e seus sons, pintar ou simplesmente me deixar ficar sem fazer absolutamente nada, tudo isso ou nada disso me dá prazer, o simples prazer de estar viva. Não há vida sem problemas e aborrecimentos, é claro, mas considero os meus tão pequenos, tão solucionáveis, que eu começo a cantar: "Do lado de cá,
A vista é bonita,
A maré é boa de provar
Do lado de cá,
Eu vivo tranqüila
E o meu corpo dança sem parar"

Beijos, melhoras para seu braço, para o seu estado de espírito e, de vez em quando, chutar o pau da barraca e mandar tudo à m.... também faz muito bem.

PS: tenho feito colagens novas. Depois vou fotografar uma para colocar lá no Mínimo.

Chorik disse...

Ao menos uma! Que bom!
bj

Lucia Alfaya disse...

Pois né não, Cho?

Terráqueo disse...

Lúcia, ao ler o teu comentário também me senti melhor. Muito obrigado. Bjs.

Lucia Alfaya disse...

Terráqueo, gosto de pensar que a felicidade é contagiosa! rsrs