sábado, 30 de outubro de 2010

Tríptico

 




Cidade vertical
Catedral
Encosta escarpada
Linhas que carregam
o olhar para o infinito
negro como seus olhos
vasto como o oceano
Arco-íris de concreto
Diamante multicor
Reflexos de luz
ferindo meus olhos
que insistem em buscar os seus
na vastidão dessa vida incerta
cheia de desvios e labirintos
Miríade de possibilidades
Abismo de incertezas


11 comentários:

AC disse...

Um vislumbre futurista com traços de talento...

beijo :)

Terráqueo disse...

Gostei imensamente.

Bípede Falante disse...

A tristeza é mesmo senhora. A gente não tem como negar.
Lindo poema e lindo tríptico!
bjs.

Chorik disse...

Mais um casamento perfeito entre poesia em palavras e em telas.

Lucia Alfaya disse...

AC

Obrigada pela visita. Andei lá pelo Interioridades e gostei muito. Seus textos são inspiradores.

Bjs

Lúcia

Lucia Alfaya disse...

Bipede

Pintando eu mando a tristeza embora.

Bjs

Lúcia

Lucia Alfaya disse...

Chorik

Se o projeto da próxima exposição for aprovado, serão expostos telas e textos. Se conseguirmos casar os dois, acho que será bem interessante para o espectador. Espero que tudo dê certo e que agrade aos olhos e aos corações.

Bjs

Lúcia

Lucia Alfaya disse...

Gracias Terráqueo!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

a cidade dos teus olhos é tão distante da minha alegria interiorana

Lucia Alfaya disse...

Mas a minha alegria interior combina com todas as cidades.

Moniz Fiappo disse...

A vida também é feita de tristezas. Feliz de quem, como nós, pode driblá-la olhando essa sua criação tripticamente bela.