sexta-feira, 2 de abril de 2010

Panopramanga






Tento ver através
das sombras
das nuvens
da cortina da vida
Tento encontrar a serenidade
o equilíbrio
o amor verdadeiro
Busco no balanço das ondas
nas noites de lua cheia
e no cheiro das flores de laranjeira
Na linha imaginária
entre a sanidade e a loucura
busco a verdade da mentira
a luz da escuridão
a dor do prazer
o prazer da entrega total
de onde não há mais volta

8 comentários:

Terráqueo disse...

Lucia,

Fiquei estarrecido com o teu quadro. Tenho uma cadeira igual a que você pintou que era do meu bisavô e que me acompanha sempre. É um móvel de estimação. Fiquei impressionado.

Lucia Alfaya disse...

Interessante. Eu tinha pensado em presenteá-lo com uma tela minha, acho que essa então seria a ideal. Uniria o objeto à sua representação. Vou reserva-la para você. Bj.

Terráqueo disse...

Nossa, não posso acreditar. Muito obrigado.

Lucia Alfaya disse...

Então, se você gostou do trabalho, só precisamos ver como e para onde enviar. A melhor forma é retirar do chassis de madeira e enrolar como um cilindro, o transporte fica mais fácil. Você teria como remontá-la? Se sim, mande o endereço de entrega para o meu e-mail lucia.alfaya@gmail.com. A não ser que você pretenda voltar ao Brasil na época da minha próxima exposição. rsrs
Já está na Turquia?

Terráqueo disse...

Lúcia,

Não sei nem o que dizer. Me sinto honradíssimo com o teu presente. Acho os teus quadros maravilhosos, e esse em especial tem muito a ver comigo. Mandei uma mensagem para o teu e-mail.
Muito obrigado,
Bj.,

Marcelo

Anônimo disse...

Lucia, o terraqueo deve estar levantando voo para outro planeta com o seu presente. Se tem algo que esse ser aprecia com verdadeira emoção, é a arte. O seu quadro está dando pano pra manga e para o coração. Ele vai sentar na cadeira do bisa e ficar horas girando na sua tela. Um belíssimo e significativo trabalho! Você além de talento, tem também a necessária sensibilidade a um artista feito de verdades. Um super beijo. Bípede Falante.
P.S Estou no anônimo porque o login está no Mínimo Ajuste.

I.Moniz Pacheco disse...

Belo trabalho e belo gesto. Nos sabemos o prazer que sentimos quando alguém gosta de verdade da nossa criação.

Janaina Amado disse...

Que inveja do Terráqueo! He he
Lindos, o quadro e o poema, Lucia. Parabéns.