segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Dunas








Pintar, pintar
Pincel de ar
Colorir
De azuis e verdes
Toda uma paisagem
De retas incertas
Lilás, lilases
Flores em cores
Feitas de nuvens e ar
Para compor o buquê
De estrelas brilhantes
Que vai iluminar
Minha noite escura e sombria
Onde se escondem
Todos os medos e pesadelos


15 comentários:

Leonardo B. disse...

[em certa medida, toda a poesia tem o movimento da cor em tela: pinta-se enquanto se respira poesia... e que faz o poeta?]

um imenso abraço, Lucia

Leonardo B.

Lucia Alfaya disse...

Leonardo

O poeta respira a paisagem, inspira cores e perfumes e expira palavras em forma de versos.

Grande abraço

Lúcia

Bípede Falante disse...

você sempre tão talentosa, Lucia, com as palavras e com os pincéis!
bjs

Terráqueo disse...

Quanto movimento, quantas formas e ideias diferentes me sugerem esse quadro. Linda poesia também.

Lucia Alfaya disse...

Terráqueo

Esse trabalho é feito em acrílica sobre papel, assim como os próximos que irei postar, tamanho A4. Faz parte de mais uma das experiências que faço de vez em quando, mudando suportes, motivos, forma de execução... São exercícios para diversificar a obra rsrsrs
Gosto muito deles, estão no meu acervo.

Bj

Lúcia


Bípede

Obrigada pelas palavras de incentivo, sempre tão carinhosas. Ontem à noite lembrei-me de você assistindo o filme E se Fosse Verdade... (Just Like Heaven), com Reese Witherspoon, Mark Ruffalo. Há uma cena em que ela impede que ele assista um jogo na televisão cantando bem alto, gritando e aí me lembrei de você. Meu cérebro deve ter feito uma estranha associação com os gritadores do seu blog e eu imaginei você loura rsrsrs

Bjs

Lúcia

O que é isso? disse...

Seu trabalho é ótimo, Lucia! Não falo nenhuma novidade, ne?

Por que você faz poema? disse...

Um poema cheio de cores
para uma noite sombria.
A poesia habita no desencontro.

Lucia Alfaya disse...

O que é isso? Elogio:
é sempre bem vindo para o coração artístico tantas vezes desdenhado.
Obrigada pela visita, volte sempre.
Bjs
Lúcia

Lucia Alfaya disse...

E o desencontro habita em mim, Herculano.
Bjs
Lúcia

Paulo Tamburro disse...

TUDO BEM LUCIA?

O QUE ABUNDA EVENTUALMENTE, ESCASSEIA.

Este é um título perigoso, pois a colocação da virgula é tão imprescindível como a vestimenta de um astronauta, nas suas viagens espaciais.

Mas, indo objetivamente ao assunto e sem maiores churumelas ou subterfúgios , sempre gostei muito de pássaros , mantenho as gaiolas absolutamente, limpas, comida farta e água renovada.

Antes, não suportava a idéia de admitir um pássaro em cativeiro, com todo o espaço do mundo à sua disposição, o céu azul infinito e ele ter que ficar trancafiado.

-Como minha senhora? A senhora se sente assim, no seu casamento?

Perdoe , mas contente-se ao lembrar que um astronauta dentro da cápsula espacial ...

SE VOCÊ CONSEGUI GOSTAR (RS), LEIA INTEGRALMENTE NO MEU BLOG DE HUMOR:

"HUMOR EM TEXTO".

LÓGICO, VÁ SE QUISER, MAS VÁ (RS).

PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!!!!!(RS).

UM ABRAÇÃO CARIOCA.

Lucia Alfaya disse...

Obrigada pela visita Paulo Tamburro. Volte sempre.
Darei uma passadinha por lá!
Bjs
Lúcia

Marta disse...

belíssimo TUDO.

Lucia Alfaya disse...

Obrigada Marta. Volte sempre.

Anga Mazle disse...

Que privilégio você tem, Lucia!

O de saber pintar poemas e escrever imagens!

Seu blog impressiona pela unidade que seus dois dons lhe possibilitam realizar, com beleza e profundidade.

Um beijo

Lucia Alfaya disse...

Elza?

Obrigada pela visita e pelas palavras incentivadoras.
Andei lá pelo Desinformação Seletiva e gostei muito. Estou seguindo e visitarei regularmente.
Volte sempre e me presenteie com seus comentários.

Bjs

Lúcia