quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Pintura

Do livro Relâmpagos [dizer o ver] de Ferreira Gullar, páginas 142-143.
  

Carlos Bracher
Natureza-morta com copos de leite e violino 

PINTURA

Eu sei que se tocasse
com a mão aquele canto do quadro
onde um amarelo arde
me queimaria nele
ou teria manchado para sempre de delírio
a ponta dos dedos

Ferreira Gullar

6 comentários:

Moniz Fiappo disse...

O cara escreve com tesão! Cada vez mais fã.

Terráqueo disse...

Lindo. Perturbador. Bjs.

Lucia Alfaya disse...

Ivonete e Terráqueo

ele realmente escreve e descreve as obras de arte com uma paixão impressionante. Alguns textos do livro, lidos e relidos, me encantam cada vez mais. Ele lança um olhar sobre as obras que me deixa verdadeiramente encantada. Ele tem uma visão ao mesmo tempo tão particular e tão abrangente, tão clara que torna possível a compreensão do que antes era apenas emoção em estado bruto. Esse livro foi uma das melhores aquisições do ano.

Bjs

Moniz Fiappo disse...

Eu que o diga, que ganhei de presente no meu aniversário. Obrigada por me mostrar esse livro que desde então, está na minha cabeceira.

Chorik disse...

E alguns dizendo que Ferreira Gullar é pseudopoeta só por causa de seu posicionamento político. Esses devem achar o imortal dos marimbondos o must.

Lucia Alfaya disse...

Mas não é Chorik?
Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa. E o cara entende muito de arte!
Bjs