sábado, 26 de junho de 2010

Série Garrafas - 2008















Se você fosse garrafa
Eu seria gênio
Para satisfazer todos os seus desejos

Se você fosse céu
Eu seria nuvem
Para fazer cócegas em suas orelhas

Se você fosse mar
Eu seria cavalo marinho
Para cavalgar suas ondas

Se você fosse terra
Eu seria vulcão
Para fazer ferver suas entranhas

Se você fosse árvore
Eu seria fruto
Para guardar sua semente

Se você fosse tela
Eu seria tinta
Para criar uma obra prima

Se você fosse lua
Eu seria São Jorge
Pra te salvar do dragão

Se você fosse vento
Eu seria saia rodada
Pra mostrar as pernas da bailarina

Se você fosse chuva
Eu seria semente
Pra brotar flor na primavera

Se você fosse música
Eu seria nota musical
Para compor uma sinfonia

Se você fosse real
Eu seria sonho
E juntos seríamos o infinito

14 comentários:

Bípede Falante disse...

Lucia, eu seria qualquer uma das suas garrafas! Quanto talento você tem com os pincéis e quanto talento tem também com as palavras. Já nem sei mais qual é a melhor artista, se a Lúcia dos quadros ou a Lúcia dos poemas.

Terráqueo disse...

Se eu fosse um pintor, eu queria ser como você.

Beijos,

Terráqueo

Lucia Alfaya disse...

Bípede

Acho que me saio melhor com os pincéis. As palavras são mais difíceis de manobrar.
Obrigada pelo convite para escrever no Contos Marginais, mas ainda não me sinto preparada para contribuir à altura que o blog merece.
Grande beijo

Lúcia

Lucia Alfaya disse...

Terráqueo

Você é um pintor, só que em vez de pincéis você usa magistralmente as palavras e a máquina fotográfica.

Bjs

Lúcia

Chorik disse...

Concordo com o Terráqueo e com a Bípede. E adorei as cores e a perspectiva da primeira garrafa. Genial, Lucia! Parabéns!

Edu O. disse...

Que trabalhos lindos, Lucia. Adorei!

Mas que São João, hein? Que pena!

Bípede Falante disse...

Voltei para apreciar. Então, vou ficar quietinha, só olhando, como diz o meu pequeno bípede :)

Por que você faz poema? disse...

Se voce fosse...
eu iria...

I.Moniz Pacheco disse...

Suas garrafas são maravilhosas. Seu talento com os pincéis é demais! Só não sabia que com as palavras voce se sai tão bem quanto.
Parabéns, adorei seu poema.

Lucia Alfaya disse...

Então vamos!

Leca disse...

Tudo por aqui esta muito bonito...
Das garrafas às palavras...

"...Quem nos deu asas para andar de rastos?
Quem nos deu olhos para ver os astros
Sem nos dar braços para os alcançar?!..."
Lindo né...é Florbela Espanca...
Que flutua no meu blog...
E espera por você...
Beijos...
Leca...

Lucia Alfaya disse...

Obrigada pela visita Leca, volte sempre. Flutuarei lá pelo seu blog.
Bjs
Lúcia

Chorik disse...

Parabéns pelo aniversário Lucia. Muita luz no seu caminho, hoje e sempre.

Lucia Alfaya disse...

Obrigada Chorik.
Bj
Lúcia